youtubers-mirins-publicidade-infantil

Publicidade infantil: Vídeos de youtubers mirins podem ser retirados do YouTube

Os vídeos de youtubers mirins podem ser retirados do YouTube caso uma ação civil aberta pelo Ministério Público de Sã0 Paulo seja aprovada. A entidade argumentou que muitos destes vídeos fazem propaganda implícita de produtos infantis, o que fere leis da Constituição Federal, do Estatuto da Criança e do Adolescente, da Convenção das Nações Unidas sobre as Crianças, do Código de Defesa do Consumidor e do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente.

A ação foi aberta após um inquérito civil envolvendo a fábrica de brinquedos Matel.  A youtuber Julia Silva, de 13 anos, publicou uma série de doze vídeos nos quais lançava desafios envolvendo as bonecas Monster High. Os vencedores eram convidados a participar de um evento na sede da marca.

A assessoria do MP concluiu que “diversas empresas, aproveitando-se da hipervulnerabilidade tanto da criança youtuber, como da criança espectadora, passaram a enviar seus produtos a esses influenciadores digitais para que eles os desembrulhassem, apresentassem, como verdadeiros promotores de vendas”.

Portanto, o promotor Eduardo Dias solicitou à Justiça que o Google retire os vídeos que são protagonizados por youtubers crianças. As empresas que enviam produtos às crianças também foram notificadas para que se abstenham deste modo de publicidade.

O Google foi questionado a respeito do assunto, mas respondeu que não comenta casos isolados.

Leia também: Contagem regressiva do Instagram: Saiba como funciona o novo recurso!

x