Parada do Orgulho LGBT vai ser transmitida ao vivo pelo youtube

Parada do Orgulho LGBT de SP vai ser transmitida ao vivo no Youtube com time de oito apresentadores

No dia 23 de junho de 2019, domingo, a Avenida Paulista ganhará mais cor com a Parada do Orgulho LGBT. Pelo segundo ano consecutivo, o evento será transmitido ao vivo em uma realização da Dia Estúdio com apoio do YouTube. A #ParadaAoVivo, comandada por um time especial de apresentadores, terá oito horas de duração.

A Parada SP chega a 23ª edição e tem como tema os 50 anos de Stonewall. Em 2006, o evento foi nomeado a maior parada do orgulho LGBT do mundo pelo Guinness World Records. Somente em 2018, mais de três milhões de pessoas se mobilizaram pelas ruas de São Paulo.

Transmissão

Todo o evento será transmitido ao vivo por meio do Youtube em pelo menos oito canais de forma simultânea. Durante a #ParadaAoVivo o público poderá acompanhar a Avenida Paulista e conteúdos exclusivos, com entrevistas e bate-papos.

Os apresentadores da transmissão são os youtubers Amanda Guimarães, do canal Mandy Candy; Eduardo Camargo e Filipe Oliveira, do Diva Depressão; Fernanda Soares e Herbet Castro, do Canal das Bee; Lorelay Fox, do canal Para Tudo; Louie Ponto e Spartakus Santiago, que têm canais homônimos. Já Maíra Medeiros, do canal Nunca Te Pedi Nada, vai atuar como repórter de rua.

— O objetivo da transmissão é levar, por meio da internet, o que acontece na Avenida Paulista ao maior número de pessoas possível. No ano passado, por exemplo, alcançamos 1,3 milhão de visualizações. Queremos assim aumentar o engajamento pela causa, permitindo quem não teve a oportunidade de estar presente também viva o evento — explica Rafa Dias, CEO da Dia Estúdio e diretor-geral da transmissão.

A Parada do Orgulho LGBT de SP é uma iniciativa da ONG APOGLBT SP (Associação da Parada do Orgulho de Gays, Lésbicas, Bissexuais e Transgêneros de São Paulo). A organização reforça a importância do evento para empoderamento e visibilidade para a luta da comunidade LGBTQIA+.

— É festa, mas também é luta. Cada um precisa fazer a sua parte, levantar bandeiras e cartazes, empoderar-se e realizar a sua militância. É o que se espera de todos os participantes da Parada — reforça Fabrício Viana, jornalista e escritor, que atua como assessor de comunicação da APOGLBT SP.

Saiba mais sobre a Rebelião de Stonewall

O tema da 23ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo será “50 anos de Stonewall”, com o slogan “Nossas conquistas, nosso orgulho de ser LGBT+”. A escolha é uma homenagem à Rebelião de Stonewall, que ocorreu em Nova Iorque, nos Estados Unidos, no dia 28 de junho de 1969. O objetivo é relembrar que toda a visibilidade teve origem na força de enfrentamento, resistência, visibilidade e luta por direitos e respeito.

Há 50 anos um grupo de lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBT) frequentadores do bar Stonewall Inn, resolveram, após uma batida policial, dar um basta às agressões, preconceitos, humilhações e perseguições que sofriam. Foram três dias de resistência e enfrentamento com a polícia. Naquela época, ter relações sexuais com pessoas do mesmo sexo era ilegal em todos os Estados americanos.

A revolta tornou-se o marco de uma série de protestos e reivindicações por direitos LGBT. Os movimentos se espalharam pelo país e influenciaram outros protestos pelo mundo. Um ano depois foi realizada a primeira Parada do Orgulho, em celebração à Revolta de Stonewall. Cerca de 10 mil pessoas participaram daquela marcha. No ano seguinte Londres também fez sua primeira Parada, seguida por outras cidades pelo mundo.

x