K-Pop, Marketing e Cultura: os Novos Mega Influenciadores na internet

Os idols do K-pop transformaram-se em mega influenciadores e hoje estão na mira de grandes marcas que apostam na alta visibilidade.

Já faz alguns anos que a internet vem se acostumando com a presença cada vez maior de grupos (às vezes gigantes) de meninos e meninas asiáticos cantando, executando coreografias super elaboradas e arrastando multidões pelos lugares que passam. Os idols do K-pop, como são chamados carinhosamente por seus fãs, transformaram-se em mega influenciadores e hoje estão na mira de grandes marcas que apostam na alta visibilidade e engajamento destes grupos.

A popularização da internet e das redes sociais foi ponto decisivo para que a onda de cultura oriental, em especial a cultura pop sul-coreana, chegasse ao ocidente e conquistasse um espaço tão importante.  O maior produto cultural de exportação da Coreia do Sul, fruto de um projeto do governo iniciado nos anos 1990, atinge em 2020 uma popularidade global que promete influenciar a cultura ocidental (ao que tudo indica) por muito tempo ainda.

Integrantes do grupo Black Pink para a revista Billboard (Foto: Reprodução)

O fenômeno Black Pink

Os grupos BTS e Black Pink são com certeza grandes destaques dentro do mercado de influência dos ídolos teen do oriente. O grupo feminino da YG Entertainment é formado por Jisoo, Jennie, Rosé e Lisa e recentemente ganhou um documentário exclusivo sobre suas carreiras na Netflix. As meninas do Black Pink possuem entre 30 e 40 milhões de seguidores cada, colaboraram com artistas como Lady Gaga e Selena Gomez e foram o primeiro grupo feminino de K-Pop a se apresentar no festival Coachella.

Leia mais:
>>> Influenciadores maduros: Os Baby Boomers no mercado de criação de conteúdo
>>> Como os e-boys tem mudado a representação da masculinidade na internet
>>> Os influenciadores virtuais vão substituir os criadores de carne e osso?

As quatro garotas hoje possuem um poder de influência, seja no oriente ou ocidente, que tem chamado atenção de grandes marcas de moda de luxo e beleza. Dentre as integrantes do grupo, Lisa (com 40,8 milhões de seguidores) é conhecida por ser a “rainha do sold out” na internet. As peças de roupa utilizadas por ela em seus posts no Instagram costumam esgotar em poucos dias nos e-commerces das marcas. Além disso, Lisa é embaixadora de marcas de luxo como Celine e Bulgari e foi anunciada recentemente pela gigante da beleza MAC como sua mais nova representante.

@mitchomezzomoO PODER DA LISA NA MODA! ##fashion ##lisablackpink ##lalisa♬ som original – MITCHO

  A LG, multinacional sul-coreana de eletrônicos, já vem apostando na influência dos artistas de K-Pop há algum tempo. A marca acredita na criação de vínculo emocional com os fãs da cultura oriental promovendo eventos e parcerias que engajem o público jovem em países do ocidente. A marca ainda conta com o grupo BTS como embaixador de sua linha de celulares. 

Composto por Jin, Suga, J-Hope, RM, Jimin, V e Jungkook, o BTS é um dos mais populares grupos masculinos de K-Pop do mundo. A banda sul-coreana estreou em 2013, gerenciados pela Big Hit Entertainment e já em 2018 foi listada em primeiro lugar pela Forbes Korea Power Celebrity, que classifica as celebridades mais poderosas e influentes da Coreia do Sul.

Assim como as meninas do Black Pink, os sete garotos abusam de parcerias comerciais no mundo da moda e beleza e têm provocado mudanças significativas na percepção de masculinidade em seus estilos pessoais. Com look muitas vezes “exagerados” ou “femininos” demais para os padrões ocidentais de comportamento masculino (tudo entre muitas aspas), os idols de K-Pop também já apostaram em linhas próprias de cosméticos e maquiagens.

Mas o que criadores de conteúdo e influenciadores podem aprender com este movimento milionário e global de comportamento?

O projeto cultural sul-coreano como um todo se mostra extremamente alinhado com o público jovem que pretende atingir e as suas estratégias de marketing foram fundamentais para a popularização do K-Pop pelo globo. Apesar do idioma e das diferenças culturais, os grupos musicais de pop oriental souberam adaptar seus conteúdos para construir uma narrativa que consiga gerar conexões globais. Suas músicas são um híbrido de diferentes estilos musicais que conseguem soar familiar para uma grande parcela do público.

Os clipes das músicas destes grupos são conhecidos pelas mega produções e principalmente pelas coreografias e movimentações rápidas de câmera. Em uma análise primária, é possível notar que nesses clipes os takes não ficam na mesma cena por mais de 5 segundos. Há uma profusão de cores e elementos que se alternam de forma muito rápida, o que vai de encontro com a capacidade estimada de concentração da geração Z (nascidos entre 1995 e 2010) que é de no máximo 8 segundos.

O tempo é uma variável bastante importante para o sucesso destes mega influenciadores. Com um público jovem e superconectado, os fandoms destes grupos passam muito tempo do seu dia na internet, e tem um poder gigante de mobilização. Os idols de K-Pop muitas vezes adotam estratégias de mega exposição e compartilhamento da maioria dos  momentos de suas vidas, gerando uma conexão muito maior com seu público do que outras celebridades.

Por fim, a influência oriental na internet já é uma realidade com potencial de transformação cultural em escala mundial. A influência destes jovens ídolos nas redes sociais é reconhecida por grandes marcas e começa a impactar a forma como consumimos, desde roupas e eletrônicos até conteúdo e entretenimento. O projeto cultural sul-coreano pode nos fornecer algumas pistas e possibilidades de previsão dos próximos passos da internet em um futuro próximo.

* Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Criadores iD