WhatsApp anuncia investimento nas contas business e detalha seus planos de negócio

Quando o Facebook comprou o WhatsApp por US$ 19 bilhões em 2014, o esperado era que seguisse a estratégia tradicional de monetização também para o aplicativo de mensagens, que eventualmente estaria repleto de anúncios.

Mas com o WhatsApp, essa abordagem não funcionou. No início deste ano, o Facebook confirmou que havia abandonado seus planos de colocar anúncios no WhatsApp Status, o recurso do aplicativo do tipo Stories, enquanto outras tentativas de incluir promoções pagas também não deram certo.

O foco na privacidade do aplicativo tornou muito mais difícil para o Facebook monetizar. Embora o WhatsApp tenha uma presença massiva, com 2 bilhões de usuários ativos em todo o mundo, maximizar seu potencial de negócios se mostrou um tanto problemático.

Mas agora, o Facebook está adotando uma nova abordagem. O WhatsApp anunciou que se concentrará em expandir suas opções de compras no aplicativo e fornecer às marcas novas ferramentas para gerenciar suas interações, com o objetivo de maximizar seu potencial de negócios (mas também começará a cobrar taxas por algumas funções avançadas).

 

Em primeiro lugar, o WhatsApp anuncionou que viu um grande aumento na atividade empresarial em 2020.
“O WhatsApp se tornou um recurso simples e conveniente neste momento. Mais de 175 milhões de pessoas enviam mensagens todos os dias em uma conta do WhatsApp Business. Nossa pesquisa mostra que as pessoas preferem enviar mensagens a uma empresa para obter ajuda e são mais propensas a fazer uma compra quando pode fazer isso. ”

O comércio de WhatsApp tem sido um grande foco no mercado indiano, onde o Facebook está trabalhando para construir sua presença. Está expandindo lentamente o uso do WhatsApp Pay na região, e a aquisição de plataformas de comércio eletrônico dá ao Facebook mais opções de compra in-stream, atendendo a essa demanda crescente.

“Expandiremos as maneiras de as pessoas verificarem os produtos disponíveis e fazerem compras diretamente de um chat. Também queremos tornar mais fácil para as empresas integrarem esses recursos em suas soluções existentes de comércio e cliente. Isso ajudará muitas pequenas empresas que já foram mais impactado neste momento. ”

Embed:

Além disso, o WhatsApp também busca oferecer uma nova opção para as empresas gerenciarem suas mensagens do aplicativo por meio dos serviços de hospedagem do Facebook.

“Estamos anunciando uma nova maneira para as empresas armazenarem e gerenciarem seus bate-papos do WhatsApp com clientes que usam a infraestrutura de hospedagem segura do Facebook, que será lançada no início do próximo ano. Isso tornará mais fácil a integração na API do WhatsApp Business, permitindo que eles respondam e enviem mensagens via WhatsApp com mais rapidez, mantenha seu estoque atualizado e venda produtos por meio de bate-papos. ”

Mas, conforme observado, isso também pode ter um custo maior:
“Cobraremos os clientes empresariais por alguns dos serviços que oferecemos, o que ajudará o WhatsApp a continuar construindo um negócio próprio enquanto fornecemos e expandimos chamadas de voz, vídeo e texto criptografadas de ponta a ponta gratuitas para mais de dois bilhões de pessoas. ”

O Facebook espera fazer do WhatsApp o aplicativo essencial para quase tudo nessas regiões. O modelo para essa abordagem é como o WeChat se tornou o aplicativo essencial para os cidadãos chineses, mantendo-os digitalmente conectados ao mundo ao seu redor, facilitando compras, pagamentos de contas, reservas de táxis, etc.

Esta é direção para onde o WhatsApp está se dirigindo e, com essas funções sendo adicionadas, pode estar no caminho certo para se tornar cada vez mais um app essencial na vida do usuário consumidor e empresário.

Spotify anuncia disputa direta com rádios

Os planos para se tornar a plataforma de conteúdo em áudio dominante continuam a todo vapor no Spotify. E a nova estratégia desta ambiciosa missão foi o lançamento de um poscast matinal.

A empresa anunciou o “The Get Up” (O Levantar, em tradução literal). O programa promete debater notícas, cultura pop, entretenimento e música. Estreou nos EUA no último dia 22 e já mostrou um pouco da sua proposta.

The Get Up não é um programa ao vivo. Diferente dos programas matinais de rádio, que comentam as novidades em tempo real, o programa do Spotify será disponibilizado em playlists com gravações prontas.

Estará disponível diariamente, às 7h, podendo ser ouvido pelo público a qualquer momento, como um típico podcast. Mas diferente dos programas ao vivo, no The Get Up você tem a opção de pular os blocos do programa, além de poder personalizar a experiência com o programa.

O programa sugere algumas músicas, adicionadas à playlist a cada episódio, mas você também tem a opção de escolher o que quiser ouvir.

Recentemente, o Spotify passou a permitir que programas adicionassem músicas em podcasts, tornando a plataforma um serviço cada vez mais completo.

Qual será o próximo passo da empresa? 🤔

Pela primeira vez em seus quase 100 anos, a revista Time mudou seu nome na capa.

Faltando apenas algumas semanas para a eleição presidencial dos Estados Unidos em 3 de novembro, a nova capa da revista Time chega em um momento em que celebridades, editores e plataformas estão pedindo para que as pessoas exerçam seu direito e votem/
Para a ilustração da capa, a revista se juntou ao artista de rua Shepard Fairey, cujo pôster “Hope” se tornou sinônimo da campanha presidencial de Barack Obama, em 2008.

A nova capa da Time apresenta uma pessoa usando uma máscara facial estampada com uma urna eleitoral, que transmite uma mensagem para votar, mesmo nestes tempos de pandemia do coronavírus.
Embed:


“Poucos eventos irão moldar o mundo para vir mais do que o resultado da próxima eleição presidencial dos EUA”, escreveu o editor-chefe e CEO da Time, Edward Felsenthal

“Para marcar este momento histórico, provavelmente a decisão mais importante que qualquer um de nós já tomou nas urnas, pela primeira vez em nossos quase 100 anos de história substituímos nosso logotipo na capa de nossa edição dos EUA pelo imperativo para que todos nós exerçamos o direito de voto. ”
A edição inclui uma reportagem especial sobre os últimos dias da campanha 2020 e um guia sobre como votar com segurança.

 

Lucas Amarildo

Lucas AmarildoJornalista de formação, apaixonado por produção de vídeos. Atuou em redações, produziu documentários e atualmente coordena a área técnica da Dia Estúdio com o objetivo de pensar estrategicamente as tecnologias e inovações adotadas nos projetos da empresa. Está sempre em busca das novidades do universo audiovisual, atualizações das plataformas e é justamente sobre isso que vai falar neste espaço!

 

* Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Criadores iD

 

 

x