Adaptação no conteúdo

Da cozinha de Mohamad à fazenda de Dani Noce: Influenciadores e a necessidade de adaptação no conteúdo

Não adianta buscar uma fórmula perfeita de sucesso, nem tentar caber nas mesmas caixas das suas referências. Cada um é dono da própria jornada, e a adaptação no conteúdo é essencial dentro desse caminho e na construção da autenticidade.

Dani Noce

Não é de hoje que a influenciadora Danielle Noce vem alterando suas linhas editoriais. Inicialmente criado como um canal de confeitaria, seu conteúdo já passou por viagens, empreendedorismo, reviews de produtos/restaurantes, e por aí vai… Além disso, outros personagens também já estiveram nessa história: se no início quem cozinhava era a criadora do canal, em 2019 ela decidiu que não cozinharia mais e deu espaço para que o marido (Paulo Cuenca) e a sogra (Majo Gomes) se tornassem figuras recorrentes nos vídeos.

Durante a pandemia do COVID-19 a influenciadora deu mais uma demonstração de como a ~ousadia~ e adaptabilidade no conteúdo (e na vida) é essencial. Durante os primeiros meses de isolamento, o canal passou a contar com vídeos nos quais Paulo e Majo cozinhavam em um sítio. Descobrindo esse novo formato com o público, foram incluídas na pauta algumas lives de receitas, testadas junto com a audiência e com muito bom humor.

Agora vem a maior novidade: seu mais novo movimento foi fechar o escritório físico da agência WTF Maison, mantendo a operação apenas em home office e chocando os seguidores que acompanharam os vídeos de reforma do local. Conversando abertamente com o público nos stories, ela comentou que a decisão difícil de abrir mão do escritório foi uma consequência do nosso “novo normal”, e que o próximo passo seria mudar para a Fazenda do Céu, casa que está construindo no topo da Serra do Mar. Inserida agora em um universo de reformas e construção off-grid, ela passou a trazer pautas sobre um estilo de vida que foge das grandes metrópoles. Sempre interagindo com o público e falando sobre a importância de ser adaptável.

Mi Alves

Mas não foi só a Dani Noce quem precisou se readaptar e criar novas formas de continuar produzindo conteúdo relevante durante a quarentena. Diversas marcas e criadores precisaram rever seus conceitos e, andando lado a lado com a comunidade, ouvir o que ela está pedindo e precisando. Dentro desse contexto, a influenciadora de viagens e intercâmbio Mi Alves lidou muito bem com o desafio de continuar alimentando seu canal, ainda que em período de isolamento e impossibilidade de viajar.

Conversando diretamente com a sua comunidade, a influenciadora entendeu as necessidades do momento e diversificou suas pautas a fim de continuar se comunicando com o público. Trazendo diferentes culturas, mesmo sem poder sair de casa, a influenciadora publicou dois vídeos com a participação remota de brasileiras, em diversas partes do mundo, falando sobre alimentação vegana (estilo de vida sempre em pauta no conteúdo da influencer). O projeto deu tão certo que uma terceira edição foi criada, e dessa vez estreitando os laços com seguidores: ao invés de co-criar novamente com suas amigas, Mi Alves chamou algumas seguidoras para integrarem seu vídeo, mostrando atenção e interação direta com sua comunidade.

Mohamad Indi

E já que o mood ~vídeos de comidinhas~ bateu forte por aqui, o influenciador e ex-Masterchef Mohamad Indi é outro que adaptou seu conteúdo. Durante o isolamento social, o famoso quadro “3 tipos de”, no qual visita três tipos diferentes de restaurantes de uma determinada comida, foi alterado para o formato delivery. Além disso, criou uma série de vídeos no qual “turbina” comidas congeladas, mostrando que é possível colocar um toque de personalidade e >muito< sabor nesse tipo de alimento.

Escutar o público e ser ousado para testar novos formatos são tarefas essenciais para quem quer continuar se reinventando e criando novas narrativas. Sempre se pautando nos contextos do momento e sem perder a essência ou se desconectar da comunidade. Então faça o exercício: escolha seu influenciador favorito, e trace uma linha do tempo com as variações de conteúdo realizadas por ele. Ele está inovando, acompanhando as tendências e se conectando com os seguidores?

 

Bea PiresBea Pires

Relações Públicas de formação, sou apaixonada pelo universo da influência e hard user das redes sociais (oi @, me segue?). Respirando produção de conteúdo, já trabalhei com marcas de variados segmentos. Acredito que sempre existe algo novo pra gente descobrir, produzir e discutir – no trabalho, em casa, e na mesa do bar. Nas horas vagas vejo séries, converso com meus divertidamente e faço umas fotos por aí.

 

x