Entendendo a nova política de monetização do YouTube

A partir de julho, criadores com audiência dos EUA serão obrigados a pagar um imposto especial.

A partir de agora, você vai pagar um imposto obrigatório para o YouTube sobre um tipo de audiência dos seus vídeos do canal.

Isso mesmo! A partir de julho, esse imposto será uma taxa sobre os valores que você receber em seu canais que sejam de anúncios visualizados por sua audiência dos Estados Unidos.

Como o Google, que é o dono do YouTube, está localizado nos Estados Unidos, a empresa precisa se adequar às leis do país, e exatamente por isso que você, que tem um canal e tem audiência dos Estados Unidos, também precisa se adequar.

Essa mudança afetará milhares de criadores, já que os Estados Unidos são um dos maiores mercados de visualização do YouTube. As deduções baseadas nas visualizações, doações e associações nos EUA provavelmente resultarão na maioria dos criadores de fora dos EUA perdendo uma parte significativa de sua principal fonte de receita da plataforma, dependendo de quanto é puxado para os impostos. 

Pelo Código de Receita Interna dos EUA, o Google precisa coletar as informações fiscais de todos os criadores de conteúdo que geram receita fora dos Estados Unidos e reter tributos de canais que ganham dinheiro com espectadores que moram nos EUA.

Os ganhos dos espectadores nos EUA por meio de visualizações de anúncios, YouTube Premium, Super Chat, Super Stickers e assinaturas de canais serão tributados. Você pode ser deduzido em 15%, 24% ou 30% de seus ganhos no canal.

A porcentagem correta vai depender das suas ações com relação ao país que você reside, aos acordos fiscais com esse país e os Estados Unidos e o seu preenchimento do formulário do Adsense na plataforma.

O Google também já mantém cerca de 45 por cento de toda a receita gerada por meio de anúncios em todos os vídeos, junto com 30 por cento de todas as doações do Super Chat e membros do canal.

Com essa nova dedução de impostos, os criadores fora dos Estados Unidos agora verão ainda menos do dinheiro desses três pilares principais do sistema de receita do YouTube.

Assim que o Google começar a reter impostos, os criadores verão o valor finalizado retido em seu Relatório de transações de pagamentos do AdSense regular.