CONAR reforça fiscalização no YouTube e notifica Bruna Marquezine e Pugliesi

Em menos de dez dias o CONAR, Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária, mandou tirar do ar duas publicidades feitas no Instagram, uma da Bruna Marquezine e outra de Gabriela Pugliesi. Além disso, outras decisões recentes pediram a retirada de algumas propagandas em blogs e canais do YouTube. Essas ações apontam para o crescimento da atuação do conselho em publicidades veiculadas em novas mídias.

Com a popularização da internet e o crescimento de influenciadores online, surgiu uma demanda de publicidade com os criadores de conteúdo e personalidades da mídia com perfis relevantes para o mercado. Nos EUA, a receita publicitária para a internet já supera a da TV aberta desde 2013. No Brasil, há previsões que a internet ultrapasse os investimentos recebidos em 2017.

Diante dessa mudança, o CONAR está aumentando a fiscalização com as propagandas nas plataformas digitais. As últimas medidas mais enérgicas foram com a atriz Bruna Marquezine, por infração da norma ética que proíbe a publicidade de bebidas alcoólicas com participação de pessoas que tenham ou aparentam ter menos de 25 anos, e Gabriel Pugliesi por fazer propaganda de um produto que não está regulamentado pela ANVISA.

Além dessas, há também denúncias por publicidade velada em blogs e vídeos, prática proibida pelo Código de Ética e investigações abertas a respeito de abuso em publicidade infantil em canais do YouTube com unboxing de brinquedos e vídeos patrocinados em desacordo com as regras especiais para propaganda que se dirija a menores de 12 anos.

O CONAR tem em vista o numeroso público atingido pelos influenciadores digitais, o que faz com que o conselho considere os criadores como responsáveis pelos conteúdos divulgados em suas páginas.