No último sábado (30/06), após o jogo da França contra a Argentina na Copa do Mundo, Júlio Cocielo publicou um tweet sobre Mbappé, jogador negro da seleção francesa. A galera considerou o comentário como racista e fez questão de não deixar passar despercebido. Além disso, resgatou tweets antigos do youtuber com outras piadas preconceituosas.

Cocielo até se manifestou em um pedido de desculpas, mas o episódio continua repercutindo e chegou também às marcas parceiras do youtuber, que decidiram se pronunciar sobre o assunto.

:: Leia mais: 5 coisas que um influenciador precisa saber sobre post patrocinado ::

 

Como surgiu o debate

A polêmica começou quando Cocielo publicou o tweet abaixo, após o jogador Mbappé correr em campo e sofrer um pênalti. Não demorou pra galera se manifestar e criticar a piada do youtuber, que apagou o post minutos depois.

Em seguida, Cocielo tentou se explicar, dizendo que havia sido mal-interpretado. Mas parece que as justificativas do youtuber não convenceram os seguidores, que resgataram tweets antigos com comentários também preconceituosos.

 

Para evitar ainda mais discussões, o youtuber apagou cerca de 50 mil tweets antigos de sua conta. Ele também tornou privadas todas as publicações, exceto uma em que se manifesta sobre o ocorrido.

 

A mensagem é um pedido de desculpas de Cocielo pelo comentário, dizendo estar arrependido e que esta foi uma “lição pra vida”. Confira o texto completo:

 

O posicionamento das marcas

Cocielo está entre as dez personalidades de vídeo que mais influenciam os jovens, conforme levantamento do Google e Meio & Mensagem. Isso, e a cobrança da galera sobre um posicionamento, fez as marcas parceiras do youtuber repensarem a associação de seus nomes à imagem dele.

A Adidas era uma das principais marcas que trabalhavam com o influenciador e comunicou que suspendeu a parceria após o episódio. “A Adidas é uma marca que repudia todo e qualquer tipo de discriminação. Portanto, decidimos suspender a parceria com o youtuber Júlio Cocielo”, informou.

A Coca-Cola, que contou com Cocielo como garoto-propaganda em 2016 e hoje não tem mais ligações com o youtuber, disse que não tem planos para qualquer futura parceria.

O banco Itaú tirou do ar um vídeo de Cocielo em sua campanha. O site Submarino se posicionou dizendo que “repudia qualquer manifestação racista e que tomará as providências necessárias”.

Outros youtubers

Os internautas lembraram outras situações parecidas em que youtubers fizeram comentários preconceituosos nas redes sociais e até uma thread de “youtubers pra vcs tomarem cuidado ao seguir”  foi criada no Twitter.

Isso fez com que influenciadores se manifestassem sobre o fato de utilizarem publicações antigas como uma forma de expor a opinião deles, como Cellbit e Luba.

 

Os internautas mostraram que estão mesmo de olho em todas as opiniões e comentários das pessoas públicas em redes sociais. Mais que isso, provaram que na internet é fácil resgatar o que se foi dito há anos, mesmo que as ideias não sejam mais as mesmas.

 

O posicionamento de Cocielo

No dia 04 de julho, o youtuber Julio Cocielo publicou um vídeo no YouTube comentando o episódio. Ele disse que está consciente do erro e que seu intuito nunca foi ofender alguém. Além disso, admitiu estar envergonhado pela atitude que teve.

Sobre os comentários antigos, Cocielo disse que na época não tinha noção de que as piadas poderiam ser preconceituosas.

Cocielo falou que o ocorrido foi uma lição e aprendizado pra vida. Completou dizendo que a partir de agora pretende influenciar as pessoas positivamente e pediu desculpas aos seguidores e familiares.

Confira o vídeo completo: