O youtuber Júlio Cocielo foi processado por racismo na última quarta-feira  (12/9)  pelo Ministério Público de São Paulo.  De acordo com a ação judicial, o influenciador vai ter que pagar em torno deR$ milhões por dano social coletivo e terá seu sigilo bancário quebrado.

Para quem não lembra, Cocielo se envolveu em uma polêmica depois de ter usado seu Twitter para fazer um comentário racista. Durante a Copa do Mundo, ele fez uma piada com o jogador negro Kylian Mbappé, da seleção de futebol francesa. Leia a matéria completa aqui. 

Veja o tweet:

 

cocielo-racismo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os promotores de justiça de Direitos Humanos responsáveis pela ação civil consideraram o comentário de Cocielo como uma manifestação explícita de racismo.

“Trata-se de um jovem jogador negro, francês de ascendência camaronesa, de compleição física robusta e que mostrou, nos jogos da seleção francesa na Copa da Rússia, impressionantes velocidade e explosão, daí advindo, em notória manifestação de racismo, a sua associação com os assaltantes (negros, na ótica do autor) que praticam crimes de roubo nas praias brasileiras, sobretudo fluminenses, sempre sob contínua e desabalada corrida”.

Segundo os promotores, esta não foi a única declaração racista do youtuber em suas redes sociais. De acordo com eles, Cocielo usou seu Twitter diversas vezes desde 2010 a 2018 de forma a violar direitos humanos fundamentais e a Constituição Federal.

Depois da polêmica e desaprovação do público, Cocielo apagou uma grande quantidade de seus tweets antigos e publicou um pedido de desculpas relacionado ao comentário sobre o jogador.

“apaguei pq meu negócio não é ofender, não citei nada além da velocidade dele devido ao lance do jogo, não quero treta, só deixei pra lá pq não era esse o sentido e não quero levar isso além. é isso. não quero q confundam as coisas.”

— júlio cocielo (@cocielo) June 30, 2018

 

Na época, Júlio Cocielo perdeu o patrocínio de diversas marcas e grandes contratos, mesmo após um vídeo de retratação no seu canal.

Depois da abertura da ação civil desta quarta-feira, o youtuber ainda não se manifestou a respeito do assunto.

 

Leia também: Parcerias com influenciadores podem prejudicar as marcas? O desafio em casos como de Cocielo