O Criadores iD realizou uma pesquisa com youtubers para mapear o cenário dos criadores no Brasil, entrevistando 301 influenciadores. O levantamento de dados para desenhar um perfil dos criadores de conteúdo aconteceu entre setembro de 2017 e março de 2018.

A publicidade está cada vez mais próxima dos criadores de conteúdo, tenham eles muitos milhões ou alguns milhares de seguidores. Há muitas marcas interessadas em trabalhar com todos os tipos de influenciadores e aproveitar o espaço de mídia deles para dialogar com o público de forma mais íntima e eficaz. Com o estudo, o Criadores iD buscou trazer dados de comportamento,  marcas citadas e valores comerciais dos influenciadores, que pudessem ser úteis para entender o cenário de criadores de conteúdo e o mercado publicitário do país.

Pesquisa youtubers brasil
Pesquisa youtubers brasil
Pesquisa youtubers brasil
Pesquisa youtubers brasil
Pesquisa youtubers brasil
Pesquisa youtubers brasil
Pesquisa youtubers brasil
Pesquisa youtubers brasil
Pesquisa youtubers brasil
Pesquisa youtubers brasil
Pesquisa youtubers brasil
pesquisa youtubers brasil
pesquisa youtubers brasil
pesquisa youtubers brasil
pesquisa youtubers brasil
pesquisa youtubers brasil
pesquisa youtubers brasil
pesquisa youtubers brasil
Pesquisa youtubers brasil
Pesquisa youtubers brasil
pesquisa youtubers brasil
pesquisa youtubers brasil
Pesquisa youtubers brasil

Apenas 4% dos youtubers se identificam como negros, uma parcela muito pequena que deixa ainda mais evidente que pessoas negras ainda não têm tanto espaço na mídia como deveriam, mesmo em uma mídia independente como o YouTube. Quase 42% dos youtubers moram com os pais, o que caracteriza uma geração que está levando mais tempo para deixar a casa da família.

16,9% dos criadores disseram sofrer com ansiedade e 4% dos youtubers têm depressão, índices altos e que evidenciam que pode haver uma pressão emocional grande ao se trabalhar com produção de conteúdo para internet.

 

Profissão

Quase 60% das pessoas que participaram da pesquisa possuem ou estão em formação superior, 53,8% se dedicam exclusivamente ao seu canal no YouTube e 90% se imaginam trabalhando com a plataforma daqui 10 anos. Isso revela que a maioria dos youtubers entrevistados encara o YouTube como carreira.

 

Comercial

Mas e quanto custa trabalhar com um youtuber? A pesquisa mostra que há espaço até mesmo para pequenas marcas trabalharem com influenciadores, visto que é possível fazer algum tipo de ação publicitária com R$ 1.000 em 86,7% dos perfis no Twitter; 77,7% nos Stories; 77,1% no Facebook e 69,8% no Instagram.

Em relação a merchandising em vídeo, quase 58% dos youtubers cobram até R$ 5.000 por um vídeo especial no YouTube

Clique aqui para baixar o arquivo pdf da pesquisa.