É isso mesmo! O YouTube começou a disponibilizar filmes completos na plataforma, bem ao estilo Netflix. O serviço é 100% gratuito, mas contém anúncios –  como acontece na televisão.

O YouTube é bem rígido no que se refere à distribuição de vídeos protegidos por direitos autorais. Apesar disso, o algoritmo ainda não consegue combater o problema por inteiro. Talvez por isso esteja recorrendo à esta alternativa bastante interessante para o público.

Rohit Dhawan, um dos diretores do YouTube, explicou a iniciativa: “Vimos essa oportunidade com base na demanda do usuário, para além de oferecer somente filmes pagos.” A ideia não só é legal para quem vai assistir aos filmes completos, mas também é um bom negócio para anunciantes.

 

youtube-filmes-netflix-filmes-completos

 

Os filmes completos começaram a ser publicados em outubro. Hoje, quase 100 títulos já estão liberados dentro do YouTube Filmes, que antes só vendia e alugava.  Alguns dos mais famosos são: “Legalmente Loira”, “Rocky – Um Lutador” e “O Exterminador do Futuro”.

A parte ruim da notícia é que essa novidade ainda não está disponível aqui no Brasil. O problema para oferecer a novidade é uma questão de direitos autorais. Cabe aos estúdios que produzem os filmes optarem por uma distribuição global das produções – ou seja – permitirem que os contratos de distribuição sejam válidos em qualquer país do mundo. Esta questão pode determinar o sucesso da iniciativa.

Se os acordos forem positivos, o Youtube Filmes pode se tornar um concorrente à altura de serviços de streaming como Netflix e Amazon Prime.

 

Youtube Originals

Outra novidade é a promessa de liberação gratuita do conteúdo do Youtube Originals. Portanto, serão disponibilizados também os filmes e séries produzidos pela empresa. Hoje eles são restritos aos assinantes do recurso Premium. O Originals conta com sucessos como “Cobra Kai“, “Foursome“, “Origin“, entre outros títulos.

O catálogo free também vai contar com séries estreladas por youtubers, como “Scare PewDiePie“.

 

youtube

 

 

Leia também: Novidade do Instagram: saiba quanto tempo você passa no app