Em parceria com a Women Up Games e a Boot Kamp, a ONG americana Wonder Woman Tech lançou a campanha #MyGameMyName para conscientizar os jogadores sobre o assédio moral, sexual e bullying sofrido por mulheres no mundo dos games.

O nome do projeto (em português “Meu Jogo, Meu Nome”) faz referência à realidade de muitas gamers da atualidade. Segundo a Game Consumer Insights, apesar de as mulheres representarem 46% do público de jogos no mundo, muitas delas preferem não usar nomes femininos na hora de jogar.

O vídeo de lançamento da campanha explica bem o que acontece quando as gamers resolvem assumir seu gênero. Alguns youtubers homens foram convidados a “sentir a situação na pele”, jogando com nomes femininos. O resultado não foi surpreendente: eles foram atacados, assediados moral e sexualmente e menosprezados como jogadores. Os youtubers contaram em vídeos como foi a experiência para eles (está disponível no site do projeto).

Diversos youtubers e personalidades do cenário nacional e internacional participaram do #MyNameMyGAme. Entre eles: Davy Jones, Cavaco, Fe Batista, Mudinho e Patriota, Bárbara Gutierrez, Nicolle “Cherrygumms” Merhy e Malena.

A campanha também foi reconhecida pelo Festival de Cannes e levou dois prêmios.

Assista:

 

 

Leia também: Youtube Music e Premium chegam ao Brasil