Se você ainda não investe na produção de conteúdos em vídeo, é hora de começar! Nos últimos quatro anos o consumo de vídeos cresceu 135% no Brasil e é 80% do que consumimos nas redes sociais. Mas, se isso não foi o suficiente para te convencer, leia esse texto até o final pois te daremos motivos para começar a investir em vídeos.

Impossível falar do assunto sem citar o YouTube, que é a plataforma preferida dos brasileiros para assistir a vídeos. Segundo a pesquisa Video Viewers de 2018, 77% dos brasileiros que conhecem o termo “youtuber” acompanham pelo menos um canal. E não é à toa, já que o Brasil tem dois canais entre os 20 com mais inscritos na plataforma, Canal Kondzilla e Whindersson Nunes.

E, para as marcas que não começaram a investir em vídeos, ainda dá tempo. Segundo a Filmora, 87% das campanhas de marketing utilizam vídeos, já que 5 em 10 consumidores usam o YouTube todos os dias e 90% dos consumidores afirmam que os vídeos ajudam na decisão de compra. E não para por aí, o visitante de um site que assistiu a um vídeo tem 64% de chance de conversão e os usuários do YouTube são 1,3 vezes mais propensos a comprar algo. Não dá para perder essa chance de conversão!

Conteúdo

Em relação ao tipo de conteúdo que os usuários preferem, 93% dos brasileiros que participaram da pesquisa Video Viewers assistem a vídeos para aprender a fazer pequenos reparos em casa, 87% para desenvolver habilidades profissionais e 73% para conferir dicas de filmes e esportes. Esse é um bom indicador para guiar sua estratégia e vídeos de DIY, por exemplo, são um ótimo começo. A Leroy Merlin é uma marca que já percebeu isso. Eles possuem um canal cheio de dicas para construir e decorar a casa.

Mas se o tipo de conteúdo ainda preocupa, a equipe do YouTube garante que não existe um modelo de vídeo “preferido”. O algoritmo não favorece nenhum formato. Eles trabalham para agradar a audiência e prestam atenção no quê o público assiste ou não. O tempo que passam assistindo e os likes e dislikes também são importantes. Isso reforça o que já falamos no texto sobre YouTube Analytics, o importante é conhecer o seu público e produzir para ele.

Outro dado que nos impactou bastante é que, para quem assiste a um vídeo, 90% da mensagem é retida, enquanto para quem lê um texto apenas 10%. Chocante, né?

AO VIVO

Achou que a gente iria esquecer da tendência dos conteúdos ao vivo? Segundo o Think With Google, os usuários do YouTube consomem quatro vezes mais conteúdos ao vivo do que on demand. E os canais que transmitem ao vivo têm um tempo de exibição 40% maior e 70% mais novos inscritos.

Mas lembre-se de sempre deixar o conteúdo ao vivo disponível no canal. Segundo a Adobe, 55% das visualizações de conteúdos ao vivo são feitas on demand.

E aí, já tá convencido a investir em vídeos? Conta pra gente no Twitter @CriadoresiD.