Há anos os efeitos das redes sociais para quem consome conteúdo na internet têm sido tema de discussão. Recentemente, o debate se expandiu para a saúde mental dos criadores, que com a exposição e carga de trabalho desenvolvem problemas como ansiedade, estresse e depressão.

Em abril, o Criadores iD publicou uma pesquisa realizada com 301 criadores de conteúdo do Brasil. Os índices de ansiedade e depressão entre os influenciadores entrevistados foram significativos.

Pesquisa youtubers brasil

Os números evidenciam que pode haver grande pressão emocional neste meio. Porém, muitos criadores de conteúdo ainda têm dificuldade em expor os pontos negativos da profissão.

“A gente ainda quer manter a postura e falar que é o melhor trabalho do mundo. De fato é muito legal, mas como qualquer trabalho tem desvantagens”, diz a youtuber Ellora Haonne.

ninguém sabe explicar ao certo o que sente quando se olha no espelho. a gente fala coisas para nós mesmas que não falaríamos pra mais ninguém. a gente se julga. se culpa. se cobra. se odeia. sente vergonha de tudo que diz, o jeito que anda, como se comporta, até nossa própria aparência. pensa como poderia ser diferente. só vê insegurança. só sente angústia. fica criando mil outras versões de histórias que já aconteceram, como poderíamos ter feito melhor. é como a gente nunca fosse boa o suficiente, como se nunca fosse dar conta. a gente precisa aprender a se conhecer e se libertar dessas pressões. entender que nós também somos pessoas. e que o equilíbrio é ser livre para fazer as suas escolhas. que as coisas não são e nem deveriam ser perfeitas. obrigada pela reflexão @eqlibri! no perfil deles tem um vídeo maravilhoso sobre a campanha reflexos, que aborda esses assuntos de uma maneira muito linda. dêem uma olhadinha. #eQlibri #SomosTodasLivres #meueQlibri #publi

Uma publicação compartilhada por ellora (@ellorahaonne) em

:: Leia também: Instagram e Facebook lançam recurso para controlar o tempo de uso dos aplicativos ::

Recentemente, Ellora Haonne publicou em seu canal um vídeo comentando uma reportagem do portal norte-americano Polygon, que destaca os problemas enfrentados pelos principais criadores dos EUA.

A matéria aponta dois principais motivos para o desenvolvimento de ansiedade, depressão e burnout entre os criadores de conteúdo.

O primeiro está nas próprias interações na internet. Os fãs cobram dos criadores novos conteúdos para YouTube, além de atualizações no Instagram. Enquanto isso, os haters fazem críticas pesadas e ofensas pessoais aos criadores.

Já o segundo é causado pelas mudanças de algoritmos do YouTube, que tornaram a monetização de vídeos mais difícil. Como precisam ter boas métricas de engajamento para conseguirem viver de seu conteúdo, muitos criadores passaram a produzir mais vídeos e trabalhar por horas.

Nesta quarta-feira (06/08), Meio & Mensagem produziu um vídeo sobre o tema. Com o título Creators, precisamos falar sobre burnout, o material é um alerta sobre a necessidade do mercado começar a discutir temas delicados, como longas jornadas de trabalho, competitividade e ansiedade.

 

No vídeo, a fundadora do youPIX Bia Granja, que trabalha com internet e criadores de conteúdo, diz que debater o tema é uma necessidade e até questão de saúde pública.

O mercado de criadores de conteúdo digital cresce a cada dia e já se tornou o emprego dos sonhos das novas gerações. Porém, ao mesmo tempo que se dedicam para o trabalho, é importante que todos os envolvidos neste meio atentem às questões envolvendo saúde mental.