Jogar videogame é visto como algo negativo na China, e cidadãos que têm esse costume estarão na blacklist do país e terão problemas para conseguir crédito social. Quem cultivar os “maus hábitos” será proibido de fazer algumas coisas, como comprar passagens de avião e se hospedar em hotéis de luxo. Até 2020, o governo chinês terá um sistema para avaliar a capacidade de crédito de uma pessoa. O sistema de crédito ainda é novo na China, onde a maioria das pessoas não têm cartão de crédito, hipoteca ou nunca fizeram um empréstimo bancário.

O sistema de crédito é algo bem comum na vida dos brasileiros e apenas pessoas que já estão muito endividadas não conseguem esse benefício. Na China, onde esses sistema ainda é novo, as pessoas terão que ter mais do que as contas pagas para conseguir um crédito social: as autoridades estão coletando informações como infrações legais, comportamentos anti-sociais, costume de separar o lixo, atravessar na faixa de pedestres e até jogar videogame.

Quem não andar na linha em relação a essas coisas, ficará com uma “nota social” baixa e terá dificuldades para acessar os benefícios de crédito. As punições vão além do crédito social: cidadãos e empresas não poderão alugar, comprar ou hipotecar imóveis, viajar de avião ou em trens de alta velocidade, se hospedar em hotéis de luxo, ir à boates ou campos de golfe, decorar um imóvel de forma luxuosa, comprar carros que não sejam para uso profissional, fazer passeios ou sair de férias, matricular o filho em escola particular, comprar seguros premium e produtos de gestão de riqueza.

Algumas cidades obrigaram infratores graves a pagar suas dívidas ao acionar essa mensagem quando alguém liga para o “infrator”: “A pessoa que você está chamando foi listada como uma pessoa desacreditada pelo tribunal local. Por favor, avise-a para cumprir suas obrigações legais “. As infrações e punições variam de acordo com a cidade.

O governo chinês leva a honestidade e integridade bem a sério, mas o nível de confiança na China em relação ao mercado é baixíssimo, já que nos anos 1990, produtos falsificados e fraudes financeiras eram comuns.

De acordo com o que o expert em crédito Hu Naihong  informou ao Marketplace, a transição que a China passou de um país agrícola, onde pessoas faziam negócios apenas com família e amigos, para uma sociedade industrial baseada no crédito, foi muito rápida e por isso o Governo acha necessário esse tipo de controle social.

:: Confira também: Netflix supera valor de mercado do McDonald’s e se aproxima da Disney ::