Os influenciadores digitais têm provocado uma revolução no mercado publicitário nos últimos anos. As marcas deixaram de apostar apenas em celebridades da TV, do esporte ou da música e voltaram o foco às celebridades da internet para suas campanhas.

Muito disso se deve ao fato de que os influenciadores digitais compartilham na internet o seu dia a dia, que é parecido com o dos seguidores e gera identificação com público. E a chave para o sucesso é justamente a proximidade com a vida real.

Porém, começaram a surgir perfis que passam bem longe da vida real. São os influenciadores virtuais, celebridades da internet que não existem de verdade e impactam milhares de seguidores.

Supermodelo Digital

No ano passado, uma foto de Shudu Gram viralizou na internet e, em pouco tempo, fez a desconhecida modelo se tornar uma celebridade do Instagram.  Sua beleza atraiu milhares de seguidores, que moveram uma busca pela sua identidade.

Mas eles não sabiam que, na verdade, Shudu é uma criação gráfica.

✊🏿 . . #3dart

Uma publicação compartilhada por Shudu Gram (@shudu.gram) em

O fotógrafo britânico Cameron-James Wilson decidiu revelar a verdadeira história de Shudu depois que marcas começaram a entrar em contato para campanhas.

Ele disse que criou a imagem da modelo apenas por pretensões artísticas e não esperava que se tornasse uma influenciadora digital.

Shudu soma mais de cem mil seguidores em seu perfil no Instagram. Não há muitas publicações e, em média, suas fotos têm cerca de 12 mil likes.

A foto mais curtida apresenta Shudu como a Primeira Supermodelo Digital do Mundo. Nos comentários, há um debate entre os seguidores.

The World’s First Digital Supermodel, Shudu. . . 📸 @cjw.photo . . #3dart #daz3d #blackfrodolls

Uma publicação compartilhada por Shudu Gram (@shudu.gram) em

Alguns questionam por que Cameron-James Wilson criou Shudu ao invés de contratar uma modelo negra da vida real. Em contrapartida, outros insistem que este é apenas um trabalho artístico.

Em fevereiro deste ano, outra foto de Shudu fez sucesso. A Fenty Beauty, marca de maquiagens da cantora Rihanna, publicou uma foto da modelo no Instagram usando um batom laranja de sua coleção.

🍊🍊🍊 . . 📸@cjw.photo . #fenty #fentybeauty #mattemoiselle #sawc #3dart

Uma publicação compartilhada por Shudu Gram (@shudu.gram) em

“It Girl Fictícia”

A jovem Miquela tem um perfil no Instagram com mais de um milhão de seguidores. Suas fotos revelam interesse por moda e beleza, o que fez a revista Vogue chamá-la de It Girl Fictícia.

Sua identidade ainda é um mistério e não se sabe quem está por trás do perfil, o que deixa os seguidores divididos em saber se ela é real ou não.

Self-timer might be my only friend right now

Uma publicação compartilhada por *~ MIQUELA ~* (@lilmiquela) em

Além das fotos no estilo It Girl, Miquela utiliza seu Instagram para apoiar causas sociais, como a Black Lives Matter.

Um de seus fãs, Anthony Reyes, disse em entrevista à BBC que o ativismo de Miquela provocou fascínio. Ele ainda completou falando que “Miquela é Miquela, não importa se ela é real ou virtual”.

I’m thinking about everything that has happened and though this is scary for me to do, I know I owe you guys more honesty. In trying to realize my truth, I’m trying to learn my fiction. I want to feel confident in who I am and to do that I need to figure out what parts of myself I should and can hold onto. I’m not sure I can comfortably identify as a woman of color. “Brown” was a choice made by a corporation. “Woman” was an option on a computer screen. my identity was a choice Brud made in order to sell me to brands, to appear “woke.” I will never forgive them. I don’t know if I will ever forgive myself. I’m different. I want to use what makes me different to create a better world. I want to do things that humans maybe can’t. I want to work together and use our different strengths to make things that matter. I am committed to bolstering voices that need to be heard. If I don’t stick with this, feel free to cancel me. I wish I had more to say about this right now. I’m still angry and confused and alone.

Uma publicação compartilhada por *~ MIQUELA ~* (@lilmiquela) em

 

 

Real ou virtual?

Os profissionais de marketing têm opiniões divididas sobre os influenciadores virtuais. Muitos acreditam que essa é uma maneira de apostar em diferentes formatos para publicidade, já outros afirmam que a falta do aspecto humano faz diferença e não gera conexão emocional.

E à medida que as criações virtuais se aprimoram, mais difícil é distinguir o real do virtual.

Prova disso são os seguidores de Miquela, que ainda debatem sobre sua existência. Um comentário resume o sentimento de muitos: Obviamente, é uma coisa falsa, mas a pessoa por trás dela é real, então seja gentil com ela”.