O YouTube aceitou um acordo que o obriga a oferecer proteções para crianças e pagar uma multa de U$170 milhões. Em comunicado publicado no blog oficial do YouTube na última quarta-feira (4), Susan Wojcicki, CEO do YouTube, anunciou mudanças para os canais infantis.

Sobre as mudanças

O texto começa afirmando que responsabilidade é a prioridade número um do YouTube, e nada é mais importante do que proteger as crianças e a privacidade delas.

Com isso, a plataforma garante alterações na maneira como trabalha com os dados de crianças. Daqui a quatro meses, os dados de qualquer conta que assista à conteúdos infantis será tratada como uma conta infantil, independente da idade do usuário.

Além de desativar comentários e notificações e ocultar o número de likes, dislikes e inscritos, o YouTube vai desativar os anúncios personalizados. De acordo com a Lei de Proteção da Privacidade Online das Crianças, os anúncios, segmentados com base no histórico de uso dos produtos e serviços do Google não são permitidos para públicos infantis. Isso vai resultar na diminuição de receita para esses canais.

Para ajudar na classificação, os creators precisarão informar se o conteúdo é destinado a crianças. Além disso, o YouTube também usará machine learning para encontrar vídeos destinados ao público infantil. A plataforma também irá penalizar os criadores que tentarem burlar essa categorização.

Sobre a lei

A Lei de Proteção da Privacidade Online das Crianças (COPPA, em inglês) se aplica para websites e serviços onlines direcionados a crianças menores de 13 anos que usam informações pessoais de crianças.

No Brasil, o YouTube se posicionou que, embora a COPPA seja uma lei dos Estados Unidos, as alterações serão globais.

Melhorias no YouTube Kids

Com essas mudanças, o YouTube anunciou também melhorias no YouTube Kids para que as crianças possam continuar assistindo aos conteúdos com segurança.

Segundo Wojcicki, uma campanha promovendo o YouTube Kids começará a rodar no YouTube. Além disso, ela cita que, recentemente, o número de canais que podem fazer parte do aplicativo foi reduzido. E, em breve, o YouTube Kids também poderá ser usado no desktop.

Como se preparar

O próprio YouTube admitiu saber que as mudanças não vão ser fáceis para os criadores de conteúdo e, por isso, as mudanças serão implementadas daqui a quatro meses. Além disso, a plataforma está criando um fundo de U$100 milhões durante três anos dedicado a criação de conteúdo infantil no YouTube e YouTube Kids globalmente.

No post oficial, o YouTube passou algumas orientações para os criadores, como:

  • entender a COPPA e as responsabilidades legais como criador de conteúdo;
  • entender os termos de serviço e as responsabilidades como usuário do YouTube;
  • conhecer outras maneiras de gerar receita.

Comentários

Nas redes sociais, as mudanças geraram comentários e Felipe Neto, irmão de Luccas Neto, um dos maiores criadores de conteúdo infantil do Brasil, declarou preocupação com canais infantis, apesar de concordar com as mudanças.